Sobre a Síndrome do Patinho Gordo...


Oi meninas, tudo bem?
Hoje vim conversar com vocês sobre uma coisa importante que permeia o nosso contexto.
Já recebi alguns e-mails falando disso, já vi alguns blogs abordarem o assunto, e hoje resolvi expressar a minha opinião sobre "A síndrome do Patinho Gordo".

Alguém já ouviu falar e já pensou que isso existe mesmo?


Pois bem,
nós vivemos em uma cidade preconceituosa, e isso todos nós sabemos. Partindo disso, nadar contra a maré nem sempre pode ser a melhor saída.
Tratando-se de preconceito, assim como já existiu o preconceito- e repressão- contra judeus, preconceito contra negros, homossexuais, os gordos, hoje, são a bola da vez (sem a duplicidade de sentidos).
Não é de hoje que o preconceito contra gordo existe, ele apenas está mais falado agora, e com isso esse assunto tem tomado dimensões muito grandes, para o bem e para o mal.
Existem pessoas que são absolutamente a favor de "botar a boca no trombone", o que pode acabar polemizando o assunto e fazendo com que a sociedade preconceituosa acabe usando disso pra falar ainda mais de forma cada vez mais pejorativa. Sou a favor de contestar, contrariar, expor casos como o da professora que não foi contratada por ser obesa, pois isso é um absurdo; mas não vou sair batendo no peito e gritando "SOU GORDA" só por que percebi alguém me olhando estranho na rua.
Ora, pare pra pensar... quantas vezes você não olhou estranho pra alguém só por ser vesga, por ter um cabelo diferente, por usar um sapato que você não gosta, por ter os seios grandes demais, por ter um nariz diferente do seu e milhões de outras coisas que todos nós olhamos. Sabendo disso, por que eu vou achar ruim de alguém não gostar de como eu sou?
Sou a favor da particularidade; cada um é cada um e pensa o que quiser.
Veja bem, estou defendendo a opinião pessoal, e não a repressão pessoal.
Eu abomino a discriminação por esse mesmo motivo. Alguém pode não gostar "do gordo", mas o gordo pode gostar, sim, de ser gordo, e isso vai variar de pessoa pra pessoa, de humor pra humor, de fase pra fase.
Todos nós merecemos a chance de ser quem a gente é!
Da mesma forma que não gosto de quem reprime, não gosto da revolta do reprimido em situações cotidianas, como já afirmei. Sabe aquela história de que quanto mais a gente dá ibope, mais damos motivo para falar?
Se a minha opinião valer pra alguém, acredito que deixar as águas seguirem pode ser o melhor caminho, expondo e contrariando apenas casos que forem realmente relevantes.

Sobre o gordo e o contexto social, escrevi um texto para postar no blog há um tempo, e acabei não postando.
Acho essa a oportunidade para colocar aqui...

"A filogênese da espécie, a idéia evolucionista, depende do ser mais adaptado. Para essas visões, a pessoa gorda não é a mais adaptada quando se pensa em reprodução, fuga da situação de risco, entre outras. Quanto a isso, o mundo contemporâneo já provou que pessoas com níveis altos de gordura no corpo, podem, sim, se reproduzir de maneira normal e se adaptar, barrar, conduzir da melhor maneira situações que coloquem em risco sua vida. Porém, o que ainda precisa ser abordado, é a maneira como o mundo age e coage diante das pessoas “fora de um padrão estipulado”.

Fala-se em padrão, normalidade, sem sequer ter base do que é normal. Curioso será quando alguém conseguir mapear a normalidade. Isto, por que ser normal depende do significado que as pessoas atribuem às situações que ramificam vários temas interrelacionados (ser normal, ter um corpo normal, uma vida normal).

Certamente, a pessoa que tem um caso de esquizofrenia, por exemplo, na família, achará que dá pra ter uma vida normal e conviver com isso. Assim como pessoas que tem uma vida regular, com trabalho, casa, família, achará que sua vida é normal. Também, a pessoa obesa, ou pessoas que convivem com pessoas obesas, acham isso normal. Será?

Existe um padrão instituído na cultura da nossa sociedade que sugere que “a pessoa mais adaptada” tem que ter medidas proporcionais, vestir baixo manequim, cabelo liso, pele clara e toda uma série de regras que movem de maneira preocupante a vida não só da pessoa gordinha, quanto o resto das pessoas que discriminam um ser humano só por este não estar dentro do padrão estipulado histórico-culturalmente.

Para ter ideia da amplitude desse movimento e coerção social, pessoas com grandes medidas, necessitam de lojas especiais ou que tenham um setor especial para poder comprar roupas, por exemplo. Achamos isso normal, mas se pensar a fundo sobre o assunto, não deveria ser.

O que tem sido proposto, e por sorte bem aceito, é que ninguém é igual e que dentro de cada ser único, dentro de sua individualidade, existe uma grandeza notória e que se destaca comparado ao clichê senso comum. O que acontece, é que a vida cotidiana é plena de preconceitos.

Para Moyses e Collares, autores de algum livro ou capítulo de um livro de psicologia, “uma das características fundamentais da vida cotidiana é a existência de juízos provisórios; provisório porque se antecipa à atividade possível, e independe do confronto com a realidade”.

A idéia, então, é de promover a aceitação que vem de dentro para fora, e não o contrário. Nesse caso, as pessoas seriam marionetes que dependeriam somente da aprovação externa para se comportar perante a sociedade.

Quando a aceitação parte do individuo, gradativamente a aceitação externa passa a acontecer e as coisas passam a ser favoráveis à pessoa que se resolve dentro daquilo que é.

A partir disso, então, deve-se contribuir para a quebra desse complexo processo de transição do pensamento ou opinião de uma sociedade padronizada.

Preocupe-se menos com a previsão do tempo. Tempestades existem, e ainda assim, o sol continua nascendo todos os dias para todos nós!"



E você, o que pensa sobre "A SÍNDROME DO PATINHO GORDO"?
Me conte sua opinião...

Beeeijos e boa quarta-feira,
Amandinha♥

8 comentários:

  1. Oi.. mto bom seu post...
    Sou como vc .... cada um é cada um... cada pessoa tem que saber o que agrada ou nao.. se gosta ou não... e não emagrecer pq a sociedade cobra isso.. tem gente que se aceita gorda . e o q tem de mais nisso.. vejo o Jo.. ele emagreceu e não foi feliz.. então voltou a engordar.. isso sim é saber o q te faz bem não é?

    bjuussssss

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo seu blog
    ja estou te seguindo!
    conheça o meu blog, tem sorteio lá
    e dicas de beleza, confira!
    http://coisasdeladdy.blogspot.com
    bjs e boa sorte!

    ResponderExcluir
  3. Oi Amandinha, que saudade, voce falou muito bem sobre a sindrome do patinho gordo, eu já sofri com isso na minha infancia, e infelizmente a minha filha filha sofre com isso hoje, por mais que eu quera instrui-la e proteje-la. Mais hoje em dia pra mim é bem tranquilo, e tambem nao gosto de fazer polemica sobre o assunto, acho que temos que apenas fazer o que já fazemos, mostrar que as gordinhas sao lindas sim. Bjssss saudades Vanessa

    ResponderExcluir
  4. Olá querida. Adorei seu blog.
    Sim pode usar camisa xadrez sim, mas procure usar um cinto pra modelar seu corpo, por exemplo! Nada de camisas muito largas, ok?
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Pensa numa coisa complicada? Ser humano, extremamente preconceituoso adora "sentar em cima do próprio rabo" para reparar o que o outro possui de diferente para criticar e esquecer dos defeitos que possui ;/

    ResponderExcluir
  6. Adorei seu post, veja só acho que temos que respeitar cada um como é, e isso basta. Se é gorda, magra, se é uma gorda que quer emagrecer ou emagreceu, se é alguém que engordou. Cada um é do jeito que é e pronto , muitas vezes achamos que a pessoa é infeliz daquele jeito e não é, então temos é que respeitar e ponto.BJ

    ResponderExcluir
  7. Eu já sofri preconceitos por ser alta demais, negra, cristão e hj acima do peso, filha de pais separados.
    Ai percebi que já sofri tanto por causa dos outros q está na hora de olhar p mim. E deixar p lá tudo isso.
    Não posso mudar o mundo, mas posso guiar com fé em Deus minha vida.

    Parabéns pelo post... temos q amadurecer.

    Bju bju
    Luciana

    ResponderExcluir
  8. Oi Amanda.. como é bom saber que meu blog te inspira...
    Quero que saiba que pode conatr sempre comigo..
    Bom começe se perguntando... EU QUERO EMAGRECER MESMO? vc deve estar se perguntando.. essa menina é louca, se eu estou pedindo ajuda p ela, pq ela vem me fazendo essa pergunta? Simples... pq na maioria das vezes nós queremos emagrecer pq a sociedade pede corpos magros, ou pq alguem insiste em falar que precisamos emagrecer, ams para dar certo a decisão tem que vir da gente´, é preciso querer mesmo emagrecer para se ter sucesso...
    O segundo passo, é ter força de vontade e determinação, pq muitas vezes vai dar vontade de desistir.
    A RA não tem que ser um sacrificio, podemos comer sim de tudo, o segredo está no tamanho das porções.
    eu fiz Meta Real e eliminei 17k, é mto bom..
    tome muita agua tb viu.. coma em 3 em 3 horas para que vc não chega na próxima refeição com fome e coma demais...
    Vamos nos falando o que vc precisar saber pode me perguntar.. se eu souber responderei com todo prazer se eu não souber .. vou procurar aprender para te passar ok.. vamos nessa luta juntas..
    Eu preciso emgrecer não por questões de estetica mas sim pq venho de 3 abortos e quero mto ser MÃE e p ara isso o medico disse que preciso perder peso...para não ter complicações...

    espero ter ajudado ...

    bjus

    ResponderExcluir

Vou adorar saber sua opinião!