A fita métrica do amor. Sobre dia dos namorados e outras coisas.

Dia dos namorados, pra mim, é diferente.
O namorado é meu, o amor é meu, o carinho é meu. Ajo como acho que devo, faço o que quero fazer. Não gosto do padrão, do comum, da tradição, do ritual. 
Sempre, em todas as datas, aniversários, natal, dia dos namorados, fujo dos presentes prontos, das coisas feitas pelos outros. 
As datas, sabemos, são criadas com fins comerciais. Um jeito de não ceder a isso é eu mesma confeccionar os presentes que dou. É tão gostoso dizer "confeccionei seu presente", ao invés de "comprei seu presente". Quero o que é pessoal, o que é simples, mas que nessa simplicidade é possível encontrar o carinho de quem fez. 
Estourar o orçamento em presentes? Não! 
Se não tenho como comprar, tenho como fazer. Olha, pode acreditar, dá muito mais trabalho pensar no que fazer do que pensar no que comprar. 
O Leandro já se acostumou com isso. São 4 anos de presentes feitos, criativos, divertidos. 
Moramos em estados diferentes, o que torna ainda mais difícil poder trocar um presente. Como fazer, então?! 
Tento sempre pensar em algo diferente, e esse ano resolvi só dar um pouquinho de carinho... do meu jeito.

Coloquei essa imagem na capa do meu facebook. Só por hoje, mas está ali, meu carinho pra ele, assim. Recortes de revista no 12 de junho da minha agenda. Um tempinho de dedicação pra fazer, um jeitinho simples de demonstrar.

Separei um texto bem bacana, que se encaixa ao contexto do blog, para completar esse post e, como sempre, trazer um pouquinho de reflexão:

A fita métrica do amor

"Como se mede uma pessoa? Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento. Ela é enorme pra você quando fala do que leu e viveu, quando trata você com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravado. É pequena pra você quando só pensa em si mesmo, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade.
Uma pessoa é gigante pra você quando se interessa pela sua vida, quando busca alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto. É pequena quando desvia do assunto.
Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma. Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês.
Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas: será ela que mudou ou será que o amor é traiçoeiro nas suas medições? Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.
É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de ações e reações, de expectativas e frustrações. Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente, se torna mais uma. O egoísmo unifica os insignificantes.
Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande. É a sua sensibilidade sem tamanho. "
(Martha Medeiros)


Não separei esse texto atoa. É assim, gente, como a autora diz:
"Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande. É a sua sensibilidade sem tamanho."

Sou gordinha, 1.63m, paulistana do interior do estado. Ele, magro, alto com quase 1.90m, mineiro do interior do estado do Espírito Santo.  E aí?! E aí que a gente se conhece há quatro anos, se diverte, se entende, se encaixa, se irrita, se desculpa, se diverte, se entende, se encaixa, se gosta.
O que importa mesmo é ver que o que a gente sente não tem tamanho, não tem título, não tem rótulo. 
Como disse lá em cima, o que está no padrão não me atrai.

E vocês, do que gostam? Contem a história de vocês pra mim!

Beijos!!

4 comentários:

  1. eu e o meu amor tbm somos assim, surpresinhas sob a mesa do café c oisas simples que renovam todo dia o tamanho do nosso amor
    ótimo

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem mais gostoso asism né?

      Excluir
  2. aimmm ki lindooo!!! concordo em tudo....sou assim tambem com meu amor,nao somos de trocar presente,quer dizer eu compro pra ele mas ele quase tudo que me presenteia são mimos feitos por ele voudar alguns exemplo;ele ja desenhou a punho o meu rosto (tenho se um dia vc quiser ver ti mostro)e me deu de presente sem data nenhuma comemorativa...ele faz roupas pra mim,quando fiquei gravida ele fez um vestido longo lindo pra mim,ele cuida do meu cabelo ele quem pinta,corta compra cremes para manter e hidrata-los,ele quem faz minhas unhas,aos fim de semana quem cozinha é ele,minhas bijus a maioria ele quem faz,quando tenhoalguma comemoração a decoração quem faz é ele,....nossa é tanta coisa ....e tudo isso é diariamente sem precisar de datas,não gosto de seguir regras tambem sabe acho tolice..as enfim é isso conteium pouquinho da minha historia pra vc linda!! bjsss

    ResponderExcluir
  3. Adorei!!
    Que excessão seu namorado heim?!

    ResponderExcluir

Vou adorar saber sua opinião!