Sobre a vida fake no Instagram, "vazar nudes". Como lidar com situações assim?

Olá pessoal, como vocês estão? Eu estou ótima, e apesar de estar um pouco ausente em função do meu excesso de atividades dos últimos dias, tenho acompanhado os últimos fatos da internet. Às vezes, confesso, me dá um pouco de tristeza de ver o caminho que as coisas estão tomando, e vocês não imaginam o trabalho que dá manter tudo o que acontece em um site ou em um blog. Acredito que quem se propõe a algo desse tipo deve ter objetivos muito claros e definidos. Com o Linda GG sempre tive o objetivo de fazer com que mulheres obesas se sentissem inclusas em um universo de exclusão. Busco referências quase todos os dias para continuar o blog mostrando para vocês que é OK ser como você é. É uma luta diária a aceitação corporal. É uma luta diária o amor próprio. É uma luta diária sair do individualismo e olhar para a coleguinha do lado com carinho, empatia, respeito, seja essa coleguinha como ela for. 
Tenho o Linda GG como uma parte de mim, uma porta aberta para o meu coração. Conto para vocês sobre o que eu acredito, sobre meus valores, minhas referências, meus sentimentos, minha vida e tudo que a permeia. É realmente muito triste quando eu abro a internet e vejo que a MAIOR MANCHETE DO DIA, com maior número de visualizações, é sobre uma garota que abre mão das suas redes sociais alegando que aquilo tudo é uma falsidade. Dizendo que a vida que ela mostrava no Instagram era superficial, falsa, patrocinada. Eu e várias outras pessoas questionamos isso diariamente e nem por isso utilizamos do coitadismo, do "olha como eu sofro". 
Sempre achei que nós que estamos publicamente na internet temos que mostrar aquilo que nós acreditamos. Aquilo que nós defendemos. Não se sustenta por muito tempo uma ideia falsa, superficial. 
Acho interessante a postura da moça de querer questionar a indústria que a internet se tornou. 
Mas vem cá, quem não sabia disso? 
A diferença é que ela, e muitas outras que não me cabe aqui citar o nome, utilizaram isso como uma fantasia de princesa da Disney. Outras pessoas utilizam as redes sociais como profissão, trabalho sério, trabalho duro e exaustivo. São pessoas que se preocupam em entreter pessoas, em levar um minuto de pausa na rotina de milhares de pessoas com entretenimento. E se esse é um trabalho, elas precisam receber um salário para isso. Nem todas as pessoas que estão na internet necessitam de estrelismo, nem todas as pessoas que vivem de redes sociais vivem uma vida de fantasia, nem todas as pessoas querem enganar você, eu e quem quer que esteja lendo ou curtindo uma foto. O problema é que se a gente não questiona, as coisas continuam acontecendo. E, se a gente não questiona e engole tudo o que nos é oferecido, o problema deixa de ser delas e passa a ser nosso. Nós é que temos que ter o olhar crítico e saber que tipo de informação devemos consumir, nós é que temos que questionar se aquela vida perfeita é realmente perfeita e, mais do que isso, questionar no que isso nos agrega. Por favor, parem e olhem em volta. Se for pra acompanhar algo que te deprime por ver o quanto sua vida não é linda e luxuosa, simplesmente não acompanhe. Procure acompanhar pessoas que mostram a cara, que defendem um ponto de vista, que colocam seu posicionamento mesmo sabendo que aquilo pode ser duramente criticado. 
Pior do que isso é ver uma super-sub-celebridade (que até então eu nunca tinha ouvido falar), sugerindo aquilo que hoje se luta para que seja tornado crime. A moça tem uma visão tão restrita do mundo, que ela só consegue ver a necessidade de ter um corpo perfeito a qualquer custo. 
Corpo perfeito às custas da sua dignidade.
Corpo perfeito às custas de ações vexatórias.
Corpo perfeito às custas de uma vida totalmente oposta à vida saudável. 
E eu não cito o nome da fulana porque, lamentavelmente, são muitas pessoas dentro deste movimento na internet. 
Se fala muito em obsessão pela beleza feminina. Em todos os sites que li vejo autores questionando o padrão de beleza feminino. 
Eu, sinceramente, acho que não é por aí. A obsessão não é sobre a beleza feminina, mas sobre OBEDIÊNCIA feminina. 
Obediência a ponto de se você descumprir uma regra sem fundamento que você mesmo colocou na sua vida, você autoriza que coloquem fotos nuas suas na rede. E não, não me venha dizer que ela falou em tom de brincadeira, porque ela não falou. A sugestão foi séria. 
E sim, a sugestão é muito séria. 
É séria porque num momento em que se preza pela liberdade feminina, pela libertação de regras que vêm sendo mantidas por séculos da nossa história, e mais do que isso, onde as mulheres estão ganhando voz, autonomia, LIBERDADE, uma pessoa desse mesmo gênero sugere a OBEDIÊNCIA, a CASTRAÇÃO, a exposição daquela que não foi CAPAZ de fazer uma coisa que ela não precisa ser capaz. 
Mais do que um momento de regimes alimentares, observo um momento de regimes de vida, uma espécie de militarismo da balança. Pessoas morrem por este motivo. PESSOAS MORREM POR ESTE MOTIVO. PESSOAS MORREM POR ESTE MOTIVO. PESSOAS MORREM POR ESTE MOTIVO. E eu vou repetir isso quantas vezes forem necessárias. 
Ao consumir entretenimento, eu espero do fundo do meu coração que você questione o que você está consumindo. 
E, ainda que a fulaninha tivesse dito "vaze os nudes" em tom de brincadeira, que espécie de pessoa brinca com isso? Que tipo de ser humano essa pessoa é? Espero que não seja o mesmo tipo que eu. 
E mais uma vez aqui neste blog eu digo: AMOR PRÓPRIO em primeiro lugar. Seja capaz de olhar para você, com seus defeitos e qualidades, e se amar mesmo assim. Nada é mais cruel do que uma pessoa que não se reconhece diante de si mesma. 



Desengasguei. 
Um beijo e até o próximo post.

2 comentários:

  1. Oi sua linda... você me representa! Obrigada por compartilhar conosco a sua opinião sobre todo esse lamentável ocorrido! Beijos plus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, minha linda!
      Acho importante a gente se colocar quando o assunto é serio assim.

      Beeeeeijos

      Excluir

Vou adorar saber sua opinião!